A insistência das crianças.

Quando se pensa em insistência, poucas coisas se comparam a uma criança barganhando para conseguir o que quer. Perguntam sem dar folga desde "falta muito?" até "posso tomar sorvete no café da manhã?", ou mais tarde "posso tomar sorvete ao invés de jantar?". É notável a capacidade que as crianças têm de se ater a um assunto ou a uma pergunta. E elas perguntam... perguntam... perguntam... para checar se você não mudou de ideia no último minuto.

A insistência das crianças é um comportamento aprendido, que pode aparecer em qualquer idade. Vão continuar a usar essa tática se, num momento de fraqueza, distração ou impaciência, você cedeu e concordou que, por exemplo, ficasse acordada por mais meia hora, quando ela pediu pela oitava vez. Se a criança perceber que pode vencer pelo cansaço, não irá parar até que consiga seu objetivo.

Mas, como todo comportamento aprendido, também pode ser "desaprendido". Uma boa ideia para solucionar o problema vem de uma psicoterapeuta norte-americana, Lynn Lott, autora de vários livros sobre o assunto. Segundo ela, funciona em crianças desde 2-3 anos até adolescentes. A ideia é simples e só precisa de 3 palavras: "perguntado e respondido".

Quando seu filho de 7 anos pergunta se pode sair para brincar na chuva e ouve um "não" como resposta, pode ser que ele volte em 5 minutos, dessa vez com um "por favooooooor" acompanhando a pergunta, para você entender que ele quer muito, muito, brincar na chuva. Ao invés de repetir sua resposta, ou começar um sermão sobre porque ele não deveria brincar na chuva naquele momento, tente uma outra abordagem. Abaixe-se para ficar na altura dele e olhá-lo nos olhos, e siga os seguintes passos:

Passo 1)Pergunte "você já ouviu falar sobre 'perguntado e respondido'?" (ele provavelmente vai responder que não)

Passo 2)Pergunte "você me fez uma pergunta sobre ir brincar na chuva?" (ele vai responder que sim)

Passo 3)Pergunte "eu te respondi?" (ele provavelmente vai dizer "sim, mas eu queria...")

Passo 4)Pergunte "você acha que eu sou o tipo de mãe/pai que muda de ideia se você ficar insistindo?" (talvez nesse ponto ele já desista, saia resmungando e vá procurar outro coisa para fazer)

Passo 5)Se ele perguntar de novo, a partir de agora responda apenas "perguntado e respondido". Sem mais explicações! Quando a técnica estiver bem estabelecida, essas são as únicas palavras que você deve dizer para acabar com a insistência.

A chave para que funcione é a coerência e a perseverança. Se decidir usar o "perguntado e respondido" com uma criança insistente, não abra exceções. Responder à pergunta várias vezes - ou pior, mudar sua resposta - reforça para a criança que a insistência funciona. Junte esforços com o marido/esposa ou qualquer outro familiar que lide com a criança que insiste ou tenta negociar. Quando a criança perceber que nem pedindo 12 vezes você mudará de ideia, ela vai desistir da tática.

Outra especialista em linguagem, Stacy Pulley, diz que essa técnica funciona também com crianças com problemas de comunicação, e até com autistas. Dependendo do grau de compreensão da criança, e se ela sabe ou não ler, você pode escrever a pergunta em um caderno, ou desenhar algo relacionado. Quando a criança perguntar de novo simplesmente aponte para o caderno e lembre que ela já perguntou, e que você já respondeu. Argumente o menos possível, e mantenha sua resposta, para que ela entenda e respeite sua decisão.

Incluir essa técnica ao seu "arsenal" pode ensinar à criança que ela não vai vencer pelo cansaço. E lembre: mantenha-se firme e não mude sua resposta! Você vai precisar de muita paciência no início, mas verá depois os resultados.

fonte: Pediatra online.