Brigas entre irmãos.

 

Temos que aceitar o fato: briga entre irmãos faz parte da vida de qualquer família. De fato, não só é inevitável, como também é um meio de aprendizado, sobre relacionamentos e negociações, para as crianças. Por outro lado, as disputas e brigas constantes podem transformar em caos uma festa em família, a rotina diária ou os nervos da mamãe! Vamos então tentar trazer a paz entre os irmãos (dentro do possível).

Vou relacionar aqui 5 dicas para ajudar na convivência. Pode ser que você tenha outras ideias. Mas, colocando essas em prática, certamente irá diminuir a rivalidade e as brigas, com o passar do tempo.

1) Não rotule e não compare. Até pequenas comparações colocam mais lenha nessa fogueira! Se mamãe chama um de "o estudioso", automaticamente entende-se que o outro não gosta de estudar. Se carinhosamente chamar um de "meu bagunceirinho", o outro se sentirá o "comportado". Fique atento com essas comparações, feitas muitas vezes sem intenção.

2) Deixe um tempo do seu dia para ficar separadamente com cada um. É uma das estratégias mais importantes. Mesmo que apenas 15 minutos, que a sua atenção seja exclusiva. Cuidado também com algo muito comum, que é o "bagunceiro" ter atenção, enquanto o "comportado" é deixado meio de lado. Se eles tiverem sua atenção, separada e espontanemente a cada um deles, não vão precisar brigar por ela.

3) Seja um mediador, não um juíz. Quando os pais julgam brigas entre os filhos e tomam partido por um lado, a rivalidade dispara! Nosso papel é mediar, e não julgar. Traga os dois lados para conversar, e ajude-os a chegar a uma solução que seja boa para os dois. Desse modo, não haverá ganhadores ou perdedores, e eles ainda aprendem uma habilidade importante para futuros conflitos.

4) Não obrigue as crianças a dividir. Aprender a dividir é muito importante, assim como aprender sobre limites! Porém, quando a criança é forçada a dar algo para um irmão, especialmente um brinquedo novo, vai aprender que é um sentimento ruim e não vai querer que se repita. Ao invés de obrigar a criança a emprestar o brinquedo, tente outra abordagem e diga "é o brinquedo novo de seu irmão, você terá sua vez quando ele acabar de brincar". O dono do brinquedo se sentirá seguro e com o tempo menos possessivo, e vai querer emprestar mais tarde, espontaneamente.

5) Tolere as crises de raiva. Crianças repetem um determinado comportamento que funcionou para elas. Quando os pais cedem à uma crise de raiva e dizem: "dá a vez para o seu irmão agora!", estão incentivando a rivalidade entre os irmãos e mostrando que a crise é uma boa tática para conseguir o que se quer. Faça com que a crise de raiva "não funcione", e espere passar sozinha. Vale demonstrar empatia: "é duro esperar, não é? Mas, brinque com outra coisa enquanto isso". Ignorar os rompantes de raiva pode ser difícil, especialmente em algumas ocasiões como: locais públicos, festas ou presença de outro familiares, como os avós. Tranquilize-se lembrando que a crise é o meio que a criança usa, temporariamente, para demonstrar sua insatisfação, e não há problema nisso. Aprender a relevar esses pequenos desapontamentos servirá para a vida futura deles, sem contar a melhora da tranquilidade em casa.

 

Fonte: pediatra online