Café da manhã: por que seu filho precisa dele

A primeira refeição do dia, quando bem feita, previne a obesidade e contribui para um melhor desempenho na escola. Confira o que não pode faltar no desjejum.

 

Uma refeição matinal bem feita, que inclua todos os grupos de nutrientes, é um bônus e tanto para as crianças. Primeiramente, porque o café da manhã equilibrado ajuda a formar o hábito de comer de maneira saudável por toda a vida. Em segundo lugar, porque fornece o combustível necessário para o cérebro funcionar adequadamente na escola. Afinal, uma criança sem fome não corre o risco de fazer uma hipoglicemia (queda do nível de glicose no sangue) e consegue se concentrar melhor durante as aulas. O terceiro motivo (mas não menos importante!) para investir num bom café da manhã para seu filho é o fato de que isso ajuda a prevenir a obesidade.

 

Por que não pular o café

Ao acordar, o organismo está há muitas horas sem comer. E, embora algumas crianças se sintam inapetentes pela manhã, não se deve deixar que iniciem o dia sem quebrar o jejum. “O café da manhã é importante para repor os nutrientes que foram absorvidos pelo organismo durante a noite e garantir que o corpo desempenhe suas funções adequadamente”, diz Paola B. Preusse, nutricionista infantil. E isso inclui, claro, um bom desempenho na escola para quem estuda cedo e também para os do período escolar vespertino, que utilizam a manhã para fazer as lições de casa.

Além dessa razão, segundo a especialista, existe o fato de que, se criarmos o hábito nas crianças de fazer corretamente as refeições principais ao longo do dia, com as escolhas certas, minimizamos a probabilidade de elas desenvolverem algum distúrbio alimentar. Este é um consenso entre especialistas. “Existem estudos que comprovam que as pessoas devem comer até duas horas após acordar. Mais tempo que isso faz com que o corpo comece a acumular gordura abdominal e aumenta a chance de obesidade”, reforça Roseli Ueno Ninomiya, nutricionista da Clínica MAE, de São Paulo.

 

Cardápio eficiente

A primeira das principais refeições do dia deve incluir três grupos básicos: leite e derivados, cereais e fruta. Embutidos, como apresuntados e peito de peru, carregados de gorduras e aditivos químicos, devem ficar de fora do cardápio das crianças, principalmente pela manhã. Acredite: não é necessária outra fonte de proteínas, além dos laticínios, logo cedo. O mesmo vale para modismos alimentares. Um exemplo nocivo é a adoção de costumes estrangeiros, como a inclusão do bacon com ovos dos americanos.

Lácteos
O café da manhã é o grande momento deles, já que dificilmente estarão presentes nas outras grandes refeições. Ricos em cálcio, mineral essencial para a formação e fortalecimento dos ossos, esses alimentos fornecem ainda proteínas e carboidratos. O ideal é que, até 1 ano de idade, o café da manhã seja constituído pelo leite materno. Entre 1 e 2 anos, é necessária uma xícara de leite. De 3 a 5, é possível aumentar a dose, desde que não ultrapasse, ao fim do dia, o consumo de três xícaras. Caso a criança não aceite a bebida de jeito nenhum, mesmo acrescida de achocolatado ou de um pouco de café, ela pode ser substituída por um suco, preferencialmente natural. Nesse caso, é preciso oferecer uma porção alternativa de derivados lácteos: um pote de iogurte ou três fatias de queijo muçarela, por exemplo.

Carboidratos
São eles que fornecem energia para valer, e podem ser encontrados em cereais, pães e biscoitos. Para contemplar esse nutriente, você pode oferecer quatro bolachas do tipo maisena, três cream cracker, uma fatia de pão de forma ou meio pão francês, que pode ser veículo para outras fontes de cálcio, como requeijão (uma colher de chá), cream cheese ou margarina com pouco sal. Três colheres de sopa de cereais matinais com leite, preferencialmente integrais e com pouco açúcar, são outra boa fonte de carboidratos.

Frutas
Rica em vitaminas, minerais e fibras para o bom funcionamento do organismo, elas devem completar o cardápio matinal. Para as crianças a partir de 1 ano, sirva meia banana, duas ameixas, meia maçã, meio pêssego ou meia laranja. Para as maiores, você pode oferecer a fruta inteira, dependendo da aceitação. Uma boa sugestão para estimular o consumo é bater com leite – nem precisa adoçar. O importante é dar ao seufilho várias opções e deixar que ele decida o que vai comer.
Com esses grupos alimentares no café da manhã, ele tem os nutrientes de que necessita para crescer, aprender, brincar e começar o dia com o pé direito (e muita saúde).

 

Supere as dificuldades

É verdade: nem sempre é fácil fazer com que a criança tome um bom café da manhã. Com a ajuda das especialistas, levantamos alguns problemas e possíveis soluções. Confira:

Obstáculo: Meu filho se recusa a tomar café da manhã.
Solução: Muitas crianças só querem um copo de achocolatado com leite de manhã e, às vezes, nem isso! Aos pouco, introduza novos alimentos. Se a recusa for terminante, prefira oferecer uma vitamina com leite, fruta e 1 colher de aveia.

Obstáculo: Ele acorda em cima da hora.
Solução: Se o seu filho não tem tempo de sentar e tomar o café da manhã com calma, você precisa colocá-lo para dormir mais cedo. Quando os pais também levantam apressados para sair, a criança se sente desmotivada para comer. Procure colocar toda a família para acordar 15 minutos mais cedo e tomar junta o desjejum.

Obstáculo: Nada apetece.
Solução: Quando a criança não quer nada do que é oferecido, o ideal é tornar a mesa mais atraente. Coloque mais de uma opção de cada grupo nutricional. Pique frutas coloridas e variadas, disponha os itens de maneira mais alegre e divertida. 

 

Fonte: Revista Crescer