Dengue

A Dengue é uma doença febril aguda, causada por um vírus, que tem 4 sorotipos, chamados DEN-1 a DEN-4. É transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti  e, até hoje, a única prevenção é evitando-se a picada do mosquito, ou eliminando o mosquito. Ainda não existe vacina. Quando uma pessoa é infectada por um determinado sorotipo, fica imune a esse sorotipo, mas não aos outros. Isso quer dizer que se pode pegar a dengue 4 vezes. Infectando-se com outro sorotipo aumenta o risco de casos graves.
 
 
O mosquito que pica uma pessoa com dengue infecta-se com o vírus e, após um período de 10 a 14 dias, passa a transmitir a doença, por toda sua vida. Após a pessoa ser picada pelo mosquito infectado, o período de incubação é de 3 a 15 dias, em média 5 a 6 dias. A melhor forma de se eliminar o mosquito é evitar o acúmulo de água parada, onde se desenvolvem as larvas do mosquito.
 
A grande maioria dos casos tem poucos ou até nenhum sintoma. Pode ocorrer febre alta de início súbito, cefaleia, prostração, dores musculares e articulares, dor atrás dos olhos, extremo cansaço e moleza, tonturas, náuseas e vômitos, e manchas vermelhas na pele. Em geral melhora em até uma semana. Existe uma forma mais grave, a dengue hemorrágica, que apresenta sangramentos (pelo nariz, boca e gengivas), dores abdominais fortes e contínuas, vômitos persistentes, pele pálida, úmida e fria, sonolência, agitação ou confusão mental, queda da pressão arterial, pulso rápido e fraco e até perda de consciência.
 
O diagnóstico de certeza é feito através de exames laboratoriais. O hemograma e a prova do laço não são específicos para dengue, mas podem dar algum indício.
 
Não existe um tratamento específico  para a dengue, são tratados os sintomas apenas. O tratamento é feito com repouso, hidratação abundante, analgésicos e antitérmicos. Não se deve usar medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, etc), e evita-se anti-inflamatórios (Diclofenaco, Nimesulida, etc). Em casos graves, pode ser necessário internação, para monitorização e hidratação endovenosa.
 
Muita gente já sabe sobre a transmissão da doença, como eliminar o mosquito, e os principais sintomas. O que tem causado muitas dúvidas ultimamente é como prevenir as picadas:
 
1) Repelentes químicos: contêm o composto DEET (como Autan, Repelex e Off) ou o mais novo Icaridina (Autan importado ou Exposis). O primeiro tem duração da ação de até 4 horas, enquanto o segundo pode durar até 8 horas, e é mais eficaz. Para crianças, usar os produtos das linhas infantis, liberados para uso a partir dos dois anos de idade. Devido ao aumento dos casos de dengue, alguns estudos indicam que pode ser usado a partir de 2 meses de idade, porém considero mais seguro usar só a partir dos 6 meses. Esses produtos só podem ser reaplicados no máximo três vezes no dia. Não aplicar próximo a mucosas: boca, nariz, olhos. A aplicação nas bochechas protege todo o rosto. Nunca dormir com o repelente aplicado na pele. Se for usar junto com protetor solar, aplique primeiro o protetor solar e aguarde pelo menos 20 minutos para aplicar o repelente.
 
Outra opção é a substância IR3535 (Ethyl butilacetilaminopropionato), presente em produtos como Loção Antimosquito Johnson's Baby. Essa substância já está liberada para bebês a partir de 6 meses, é bastante segura. Sua duração estimada é de 2 a 4 horas.
 
Inseticidas em sprays tem efeito curto, devem ser usados em recintos fechados, aplicados pelo menos duas horas antes de usar o ambiente para dormir.
 
2)Repelentes naturais: existem muitas receitas com citronela, cravo da índia, óleo de eucalipto-limão, óleo de soja, etc, porém tem eficácia limitada.
 
3)Repelentes elétricos: podem ser usados, mas deve ficar a no mínimo 2 metros de distância do berço.
 
4) Repelentes que emitem ultrassom: são seguros mas pouco eficazes, funcionam apenas em ambientes fechados, e dependendo do tamanho do ambiente pode ser necessário mais de um.
 
5)Remédios que agem por repelência pelo cheiro do suor: como extratos de alho e vitaminas do complexo B, tem eficácia discutível, e o excesso de vitaminas pode ser prejudicial.
 
6)Telas nas janelas e mosquiteiro no berço: esse sim é um método seguro que pode ser usado em qualquer idade. Sempre checar se não ficou nenhum inseto dentro do mosquiteiro.
 
7)Roupas claras, compridas e largas. As roupas escuras e com cores fortes parecem atrair mais o mosquito. A roupa deve cobrir toda área exposta, e se não estiver grudada ao corpo fica mais difícil para o mosquito picar.
 
8)Perfumes podem atrair o mosquito. Prefira sabonetes neutros e xampus sem cheiro forte.
 
9)Ventiladores: pode ajudar, mas pouco eficaz
 
10)Lembrar de todas aquelas medidas que já sabemos para não deixar acumular água parada, para evitar focos de reprodução do mosquito.
 
Fonte: Pediatra on line