Iodo é importante para a saúde do seu filho

Artigo da revista Crescer on-line alerta para um componente importante do sal de cozinha: o iodo. De acordo com a nutricionista ouvida para a matéria, o iodo é essencial ao organismo, já que trabalha na síntese dos hormônios produzidos pela glândula tireoide, que atuam no metabolismo de proteínas, lipídios, água e elementos minerais. O artigo afirma que, entre as principais consequências de uma dieta pobre em iodo, está o hipotireoidismo, que causa fadiga, sono em excesso, pele amarelada e seca, sensação de frio, constipação, baixa estatura, dificuldade de concentração, apatia e atraso no crescimento dos dentes, entre outros sintomas. Uma suplementação adequada de iodo evita esses e outros problemas. Para isso, o sal iodado é indicado, mas não pode abusar. Leite e ovos também são fontes do nutriente.
A ingestão em quantidade adequada de iodo evita uma alteração da glândula tireóide conhecida como bócio endêmico (aumento da glândula). Em crianças, pode se apresentar como aumento do tamanho da tireóide, redução da velocidade de crescimento, dificuldade escolar, entre outros. Se acometer crianças muito novas, principalmente até os dois anos de idade, pode levar ao atraso do desenvolvimento neurológico. Portanto, o consumo de quantidades suficientes para cada faixa etária é fundamental. O consumo excessivo também não é indicado. A principal forma de ingerir é exatamente por meio do sal iodado e de alimentos como: carnes defumadas, frios, peixes e frutos do mar, algas, gema de ovo, laticínios, agrião, aipo, couve de Bruxelas e repolho.
 
 
Fonte: Departamento Científico de Endocrinologia da SPSP