Dúvidas frequentes sobre a vacina contra HPV na adolescência

Design sem nome (24).png

O que é HPV?
Com o nome científico papilomavírus humano, compreende uma grande quantidade de vírus (mais de 100 tipos), capaz de provocar aparecimento de verrugas e lesões na pele ou mucosas. Pelo menos 15 tipos desses vírus podem contribuir para o surgimento do câncer de útero.

Quais os subtipos mais comuns?
6 e 11: responsáveis por 90% das verrugas genitais
16 e 18: responsáveis por 70% dos cânceres de colo de útero

Quais são as formas de se contrair o HPV?
A transmissão pode-se dar através da relação sexual, do contato direto e de objetos contaminados. A mãe também pode transmitir para o seu bebê durante a gravidez e o parto.

Como o HPV se manifesta?
Geralmente é assintomático e subclínico, desaparecendo espontaneamente na grande maioria dos casos. Entretanto, pode se manifestar na forma de vegetações verrucosas (condilomas), podendo assumir aspectos semelhantes a “crista de galo” ou “couve flor” em genitais e ânus. É responsável por quase todos os casos de papilomatose respiratória recorrente (também chamada de papilomatose juvenil recorrente, é o tumor benigno mais comum na infância), por 95% dos casos de câncer de colo de útero, além de câncer de vulva e vagina, pênis, ânus e de orofaringe.

Existe vacina pra prevenção?
Sim, existem dois tipos de vacina licenciadas no Brasil: a quadrivalente a partir de 9 anos Mulheres até 45 anos e Homens até 26 anos que protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18; e a bivalente, a partir de 10 anos eficaz contras os tipos 16 e 18.

A menina pode tomar a vacina sem ter tido a primeira menstruação?
Sim, pode e, segundo estudos, quanto menor a idade, maior a proteção. Verificou-se que com as duas vacinas, os títulos de anticorpos são mais elevados (o dobro) em adolescentes menores de 15 anos em comparação com os observados em maiores de 15 anos. É interessante que seja feita a vacina antes de iniciarem a vida sexual, pelo fato de não terem contato com o HPV.

 

A imunização das meninas e dos meninos no início da puberdade oferece a possibilidade de uma excelente resposta imune, uma característica natural entre indivíduos dessa faixa etária. Além disso, ao administrar a vacina em uma idade que precede àquela de risco de exposição ao HPV, seu efeito protetor é otimizado. O benefício nos parece, portanto, inquestionável, merecendo o total apoio da Sociedade de Pediatria de São Paulo.


Fonte: Departamento de Imunizações da Sociedade de Pediatria de São Paulo

valor. cuidados de qualidade. conveniência.